quinta-feira, 12 de abril de 2018

Um pouco de mimimi. rsrs

Olá, amigos! Não sei se ainda tem gente que lê blogs, mas hoje eu queria jogar um pouco de conversa fora. Hoje eu sonhei que estava comendo uvas verdes na rua do meio daqui da minha cidade. Existem árvores na rua do meio, e elas são bem verdinhas como no meu sonho, mas não são de uvas. Fui ver o significado na internet e li que isso significa que tem gente com muita inveja de mim. Bom, eu achei engraçado. Todo mundo acha que é invejado em algum momento da vida. Eu mesma já senti inveja de um vestido, uma bolsa de alguém... nada sério. hehehe Ninguém está livre desse sentimento. Mas a primeira coisa que me ocorreu foi "inveja de quê?". E nesse mesmo sonho, eu andava pela rua com a Shirubana e com a Dida e eu achei moedas douradas pelo chão, estavam sujas e eu resolvi pegá-las, mas com um plástico porque estava com nojo. E ao lado a minha irmã pegou um papel, um extrato bancário e o saldo era de um milhão de reais! Era de alguém que tinha ganhado na loteria.Nem preciso dizer que são símbolos de muita riqueza e alegria. Eu fui fazer uma fezinha, claro! Porque da outra vez que sonhei assim perdemos uma bolada porque minha mãe desistiu de fazer o jogo! Até hoje a gente ri disso. E o seguro morreu de velho.
Mas ontem foi tenso. Eu e a Shiru mal conseguimos dormir pensando numas coisas chatas que aconteceram. Choramos mesmo, essa que é a verdade. Há uns meses atrás, durante uma conversa trivial, fomos meio que "humilhadas" por uma pessoa. A pessoa soltou um desaforo na nossa cara do nada! A Shirubana ficou muito brava. E ela até saiu da mesa. Eu, eu sempre fico meio sem reação, mas fiquei bolada pra caramba. Não é legal ouvir ofensas. Eu sei que a pessoa não queria ofender, mas infelizmente ofendeu. Passou-se um tempo, a gente relevou, lógico. Ninguém é obrigado a gostar da nossa vida e não é a única pessoa que acha que a gente não tem vida, nem conhece o mundo pra poder falar de algo. Em outras palavras, sofremos um machismo básico. É o que eu acho. E a coisa já vinha assim há um tempo. E a gente sempre relevando. Porém, o assunto voltou. A pessoa foi se explicar para minha mãe e piorou ainda mais a coisa... Aí eu desisti, desisti de tentar perdoar. 
E a pessoa acabou sentindo que estamos frias e distantes. Mas não dá pra ter conversa mais não, lamento. A gente ficou com medo de conversar e levar mais duras desse tipo. Dar opinião? Pra quê, se acham que não estamos pautadas em fatos reais, apenas em coisas da internet? Pra que falar de pessoas e experiências se não as conhecemos pessoalmente? Desanimei mesmo. 
Ontem soubemos que essa pessoa se arrependeu do que disse, mas mesmo assim, já era. Acabou a amizade.
E a gente conversou com o Douglas sobre isso e ele nos disse coisas lindas que recuperaram a gente. Ser artista, desenhista, escritor, etc tem seu lado ruim, que é pessoas próximas achando que perdemos a vida fazendo nossa arte. Arte não se faz em pizzarias com amigos, em cinemas, em shoppings, se faz numa mesa, por horas, no silêncio, longe de tudo e de todos. Se isso nos isola, é porque gostamos, porém, não significa que não podemos ter opinião, que estamos erradas... E eu me arrependo amargamente de ter parado meu desenho pra dar atenção para o ser... Me arrependo! Enquanto o preconceito continuar, não vai dar pra falar com a pessoa mais não. 
E eu não acredito no arrependimento não porque eu sei que a família quer que fiquemos de bem já que a situação ficou meio que chata. Não ele. E eu acho até que era isso que ele queria, ferir, jogar na cara as verdades dele e ponto! Ok, então. 
Foi muito difícil engolir esse sapo. Mas ele já virou cocô, pode crer. 
Tem sempre alguém pronto pra te irritar. Mas foda-se! E eu nem quero que a pessoa peça desculpas pessoalmente, porque eu não respondo pela minha boca...
Não vou mais perder meu sono por causa desse assunto. Já não basta meu cãozinho estar doente. É muito estressante ver o coitadinho sofrer. Já estamos gastando horrores e ele não se cura logo. Preciso de paz para poder criar e não estou tendo.
E nem conto a novela da mudança do meu irmão! Tadinho, ele nem sabe as merdas que foram faladas! Até eu levei uma escroteza da mãe na cara ao tentar tranquilizá-la. Mas eu sei que não veio dela, veio do ser... Por que eu tento amenizar? Por quê? Nunca mais faço isso...E domingo vai ser outro capítulo dessa novela... O outro lado do paraíso dos Alvarengas! hauhauhau 
Agora que eu percebi que basta uma pessoa na família jogando merda no ventilador pra família se desestabilizar toda. Eu fico pensando, será que a reunião fura olho de 2009 foi culpa do ser? Começo a desconfiar agora... Nosso luto não foi respeitado na época. Foi ridículo o negócio.
Desculpem o mimimi, mas é a vida. Agora eu to achando engraçado, mas foram meses de tensão. Me senti ofendida, humilhada, menosprezada e manipulada. Só isso. 
Mas vamos falar de coisas boas, eu comecei a seguir o Gackt no instagram dele e tomei um susto quando ele começou a me seguir e curtir as minha fotos! Na hora eu achei até que era um fake do Gakuto, mas não, era ele mesmo. E ele faz isso com todos que seguem ele. Fofo. Já o senhor Kamijo, nem liga pros fãs...nunca me deu like... hehehe Ah, deu sim. Só uma vez que eu mostrei que tinha comprado o cd dele no face...hummmm Nunca comprei nada do Gakuto...Mas vou comprar depois de todos aqueles likes!!! kkkkkk Beijo lindo! Ganhou eu. 










terça-feira, 20 de março de 2018

Mulheres no quadrinho, na ikebana e no sushi!

Olá, queridos amigos, leitores e colegas! Este mês está sendo bastante agitado pra mim e para a minha irmã. Março é o mês das mulheres, e nada mais certo que falar sobre mulheres no quadrinho. Sim, afinal, nunca se discutiu tanto sobre o tema como hoje em dia. Eu e a Shirubana raramente falamos sobre o assunto, mesmo porque, muita gente se aborrece com isso, acham que é mimimi, etc. 
Então, a gente acaba evitando de discutir o preconceito que se sofre sendo mulher. A gente sempre luta contra o preconceito e nossa luta é desenhando! Mas chega uma hora que somos levadas a falar, ainda mais porque estamos há 8 anos no mercado e a vida toda desenhando! E este ano vimos que estamos realmente representando as mulheres e fomos chamadas a isso pelas colegas, leitoras e leitores. 
Tudo por causa de um evento aqui da nossa região! O evento anunciou os desenhistas que estariam presentes, mas todos notaram que no cartaz havia apenas homens. O público ficou irritado e os organizadores pediram desculpas. Fiquei feliz que muitos lembraram que o Futago Estúdio estava bem pertinho e era um absurdo a gente não ter sido convidadas! A gente não esperava por isso. Foi então que nos veio a responsabilidade de assumir essa representatividade com mais força. 
O fato é que nos convidaram e fomos ao evento. Já tínhamos participado da primeira edição, mas o público queria a gente lá de novo. ^^ Isso foi muito bom. Prova que agora as mulheres serão presença obrigatória em todos os eventos e que o cenário mudou de vez. 
Graças a isso, fomos chamadas para mais eventos! O próximo será especialmente voltado para as mulheres. Legal isso!^^

Claro que para muitos, esse preconceito parece não existir. E de fato, ele é invisível, mas existe. As pessoas não percebem que seu evento só tem meninos, não percebem que chamaram só meninos para um debate ou exposição. E é aí que nós garotas ficamos pra trás em divulgação. Nossas obras são tidas como coisa para o universo feminino e ficam lá, os meninos acabam sentindo vergonha de dizer que nos leem porque o machismo os tornam gays assim que pegam um shoujo ou BL para ler. ( um preconceito atrelado a outro.) Mas nós mulheres não nos tornamos lésbicas ao ler um shounen... Nisso, os homens caem no próprio preconceito. O que é bem triste. Na verdade, o machismo também afeta os homens porque acabam não podendo fazer "coisas de mulher". Muitos acabam dizendo que leem, mas que as obras feitas por mulheres não influenciam em nada sua vida, sua obra. Talvez por vergonha também. O mundo fica divido e nós invisíveis. Muitos dizem que ler obras de mulheres os deixam burros... O impacto desse preconceito é muito forte na gente. Desanima, empobrece, deprime. 
Toda vez que eu e a Shiru falamos sobre mulheres e quadrinhos no nosso canal no youtube, sempre levamos deslikes. Alguns não querem que a gente fale do assunto... eu sinto isso. Não querem saber, não querem ver, porque talvez assim sintam que não existe mais. 
Por outro lado, muitos meninos leem nossas obras também e isso prova que não tem nada a ver ler BL, ler shoujo, etc.  
E assim, a gente vai quebrando essas barreiras com a ajuda de todos! E com o trabalho constante. Algum dia esse debate nem será necessário mais, espero. ^^ Ficará no passado, como o fato da mulher poder fazer ikebanas apenas a partir da década de 50! Nem eu sabia que ikebanas eram coisas só de homens! Assim como sushis... Lembram que diziam que as mulheres alteravam o sabor do sushi por causa da temperatura de seus corpos na menstruação? kkkkkkk Eu juro que não acredito que um ser humano foi capaz de crer nisso um dia...e tinham até umas provas científicas! Olha como o preconceito é ridículo. E que ler e escrever era perigoso para mulheres!! Inacreditável, não? Votar! Até hoje em dia tem uns doidos que acham errado mulher votar... É um saco ouvir essas coisas! Coisa irritante. Conheço pessoas que acham que a mulher só se realiza casando, sendo mãe...gente do céu, vamos mudar essa cabeça, por favor! 

Bora trabalhar! ^^ Bom mês das divas!



quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Começando o ano com muito trabalho, previsões e podcast.

Nossa! Hoje eu trabalhei feito gente! rsrs Nunca fui tão focada. E o resultado foi ótimo, mas fiquei morta.^^ Já coloquei os mangás do O Príncipe do Best Seller na loja. Os exemplares tinham acabado, mas já recebi novos hoje. Quem quiser completar a coleção, é só acessar a loja.^^
Os preços na loja caíram, aproveitem! Garoto X 1 está custando apenas R$12,00 reais!^^

Hoje foi o dia de pintar frames, muitos frames...Mas eu adoro!^^ E hoje nem teve interrupções, foi tranquilo. Deu até pra ouvir o som do Kamijo.
E hoje tem Ju-Cast sobre os concursos de mangá internacional. O tema foi esse, se os concursos são mesmo algo que abre portas. Vc ganha e?... Tudo com muito humor.^^Espero que gostem desse podcast polêmico que voltou!



Ah! Também fizemos um Vlog no nosso canal jogando tarô para saber o que acontecerá com o mangá nacional em 2018. A gente mesma jogou, sem cortes. E o resultado nos surpreendeu.
A gente joga Tarô desde os 13 anos. Tudo começou com uma brincadeira. A gente tinha comprado uma revista sobre o A-ha e veio uma revista de tarô com as cartas de brinde. Eu nem dei bola, mas a Shirubana achou interessante e resolvemos jogar. De lá pra cá, a gente sempre joga. Teve uma época que veio até pessoas em casa para saber o futuro. A grande maioria quer saber sobre amor. Mas teve jogos tensos, uma vez uma senhora veio em casa pra saber se o filho dela ia perder o braço ou não. Bom, caiu cartas boas e eu disse que ele não ia perder o bracinho. Bom, ainda bem que deu certo e o menino não precisou tirar o braço. Depois disso, eu não joguei mais para desconhecidos, só pra amigas e amigos íntimos. Mesmo porque nunca fui profissional. Mas assista ao vlog.


E no final de 2018, vamos ver se estavam certas.^^ É isso aí, vou indo!